sábado, 18 de abril de 2009

Sunshine...

"Uma tarde de abril suave e pura
Visitava eu somente ao derradeiro
Lar; tinha ido ver a sepultura
De um ente caro, amigo verdadeiro.

Lá encontrei um pálido coveiro
Com a cabeça para o chão pendida;
Eu senti a minh'alma entristecida
E interroguei-o: "Eterno companheiro

Da morte, quem matou-te o coração?"
Ele apontou para uma cruz no chão,
Ali jazia o seu amor primeiro!

Depois, tomando a enxada, gravemente,
Balbuciou, sorrindo tristemente:
- "Ai, foi por isso que me fiz coveiro!""

(O COVEIRO - Augusto dos Anjos)

 

Tenho sonhado de novo. Tenho me perdido por aí e retomado velhos hábitos, de bêbado andejo. Naqueles sonhos de ocaso voltei a ver você. 

Perturba-me os pensamentos tal qual sempre fez, quando eu a via se dissipar na poeira dos dias que se foram. Esquecê-la parece uma tarefa para além do tempo, transcende-me o alcance e a cognição, o cair das folhas, a chegada de outra estação.

Não estou em parte alguma. Eu vago pela imensidão do espaço etéreo, para onde quer que você esteja. Eu sou o reflexo dos seus olhos. Sou o olhar que acompanha seus passos, da janela. A presença que não se sente. Nada é capaz de aplacar-me a vontade de tomar-lhe nos braços para que possa vislumbrar-lhe os olhos castanhos ditosos, no mais absoluto silêncio. Nos seus lábios depositaria minha intensidade incandescente e minha esperança vexada, meu querer.

Você é o meu mais profundo desejo, os dias que não quero esquecer. O encontro de duas mãos. A sintonia de dois corações. Minha saudade é memória viva, é desejo não consumado. Você é o sol dos verões nunca esquecidos. Meu sol.

4 gota(s) de chuva:

Gabriela Magnani disse...

Criativo!

Mr. Ziggy disse...

Fazia tempos que não passava aqui pra te ler. Gosto do seu jeito leve de falar do que é intenso. É um peso que ainda busco nos meus textos. Muito belo teu jeito de falar do que te apetece, do que te dói, do que te traz notalgias e regressos. É como um retorno aos epitáfios. Abraço!

Kari disse...

Esse sempre tão doce e intenso jeito de escrever!!!!
Tão apaixonado e triste, mas também tão brilhante...

Beijos

Kari disse...

Se foi esse o motivo do sumiço, eu não aceito em...
Não falas sempre o mesmo... Digo apenas que és sempre intenso e apaixonado e isso é lindo...
Particularmente, eu gosto demais de ler o que escrever, sempre!

Beijos