sábado, 17 de julho de 2010

O álcool aquece nossos corações.

É fonte de fantasia, de sonhos,

De lindas alucinações. Ter-lhe à boca

É o mais perfeito agrado. Seu ardor

Queima as entranhas, em vivas labaredas.


Mingua infinda tristeza, de sonhos

Imperfeitos, todos fartos de pecados.

Cerro os olhos; o aposento a rodar...

E vendo a realidade girar,

Percebo: Jamais deixarei de te amar!

2 gota(s) de chuva:

Helen Cristina disse...

Preciso beber, meu coração está gelado.

Adorei aqui, seguirei :)

astronautadeplastico disse...

Onde foi parar todo o resto de suas poesias?
Falta delas.
Falta de ti.