segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

No time to love II...

Para que serve um Homem?

Afinal, homem serve para quê? Ah, para uma porção de coisas, e todas ótimas. Para namorar, por exemplo, ainda não se descobriu nada melhor. Pensar neles, sonhar com eles, fantasiar a vida com eles, às vezes é quase tão bom quanto estar com eles. Mas como saber se ele está ou não cumprindo sua função? Simples! É quando você tem vontade de se enfeitar, trocar de penteado, fazer depilação, pôr um vestidinho, comprar um sapato de salto alto, vontade de fazer ginástica... Se você faz tudo isso, e com a maior alegria, é porque ele merece. Um homem que sabe apreciar seu brinquinho, nota quando mudou o cabelo, é muito, muito estimulante. Ter um homem que desperta a vontade de enfrentar uma cozinha, de voltar do trabalho correndo e, mesmo exausta, passar no supermercado para comprar manteiga sem sal que ele gosta. Um homem que sabe, em caso de necessidade, pregar um prego, trocar um fusível, matar uma barata... Sinceramente, tem melhor? Tem sim, e ainda tem muito mais. Um homem que faz você gostar dele apaixonadamente, que dorme abraçado com você no inverno, que ouve seus problemas sem bocejar, que conversa, que ajuda... Com quem quer ter filhos e planos de envelhecer junto... Ah, isso é bom. Se você encontra um que te faz sentir tudo isso, agradeça a Deus: é apenas a melhor coisa do mundo!

Texto de Danusa Leão



Bem, aderindo ao tema abordado pela Jéssica, do blog Devaneios Bobos, resolvi discorrer sobre o assunto (mais uma vez), porém falando em outra perspectiva. Irei basear-me no que foi dito no texto dela e no texto acima citado, ambos tratando do mesmo ponto.

Primeiramente, gostaria de perguntar: Será que este homem (ou mesmo esta mulher) referido no texto é utópico? Eu pelo menos acredito que não. Mas por que será que dificilmente eles são encontrados, ou até mesmo nunca encontrados? Bem, eu acho que talvez saiba a resposta.

Eu estava conversando com uma amiga recentemente, e ela apresentou-me algumas idéias interessantes. Disse ela que ser romântico é perfeito, mas que isso não é suficiente. De acordo com ela, as coisas hodiernamente inverteram-se. No século XXI o que importa primeiro é aquilo que vem do corpo. Da pele. E só depois vem o amor. E só depois vem o romantismo para manter a coisa toda. Ela afirma também que isso é causado pela banalização da sexualidade, na mídia, nos outdoors, nas ruas... Ela sintetizou dizendo que é fácil encontrar um prazer carnal e as pessoas se deixam levar pelo prazer.

Pronto, agora iremos ao foco: o que (geralmente) falta em homens com as características citadas acima? De acordo com a minha amiga falta o que ela chamou de paixão. Ela explicou isso de uma forma bem simples. Disse que me ama, mas que isso não é o suficiente para querer-me. Faz sentido. Posso agora lhes dizer que esses homens referidos nos textos existem sim. Na mais absoluta “perfeição” referida. Mas onde é que eles estão? Eles estão por aí... Estão em bares, ou em botecos, talvez sozinhos em suas casas... Ou escrevendo em blogs como este (certo, sem apelar).

Os homens detentores das características citadas são aqueles sujeitos ao platonismo. E no amor platônico não há a tal paixão conceituada pela minha amiga. Sendo assim, esses homens nos tempos atuais talvez jamais encontrem a pessoa ideal, pois simplesmente falta-lhes aquilo que é requisitado pela maior parte das mulheres hoje. Digo por experiência própria. Esses que possuem a tendência de idealizar e tratar suas amadas exatamente da forma como teoricamente elas gostariam, servem, na verdade, apenas como amigos. Não despertam nada além de amizade. Foi isso o que pude observar no decorrer de dez longos anos.

Eu havia escrito algo semelhante a isso no blog antigo. Tamanho negativismo que utilizei foi um exagero. Sinto-me feliz, apesar de tudo, em ter voltado a ser ultra-romântico. Ainda prefiro ficar sozinho...

5 gota(s) de chuva:

Kari disse...

Pêra. Mas no texto da Danusa, ela não fala apenas de coisas que o homem faz, mas de como a mulher se sente ao estar com ele.
Ou seja, ele pode não ser perfeito, mas pode causar nela uma enorme vontade de mudar o penteado, fazer depilação e essas coisas.
E discordo que primeiro vem os prazeres da carne para depois surgir a paixão. Acho que, se você quer apenas os prazeres da carne, tudo bem. Mas se você procura um pouco mais, então primeiro nasce a paixão e depois o querer, o desejo.
E tenho que concordar que, quando os caras são muito "bonzinhos", digamos assim, terminam sendo olhados apenas como amigos, na maioria das vezes.

Mas eu ainda acredito nos homens, apesar de tudo, e acredito no romantismo...

Um beijão

Sinto que sei que sou: disse...

Acredito que existem sim, e muitas vezes estão sim em qlq lugar (escrevendo em blogs por exemplo), mas das vezes e não os busco, apenas espreo que eles apreçam e digam: Nossa eu estou apaixonado por vc, ou até me façam serenatas em plena segunda de madrugada, conheci hoemns assim, não eram pra mim, por serem meus amigos e já terem anmoradas, e percebemos quando eles são assim exatamente pelo o que Kari falou, nos fazem querer estar bem pra eles, nos causam certas vontades e desejos inexplicaveis, não são perfeitos, mas muitas vezes parecem estar a um pontinho de serem...
Bjus:)

Biaaahhh disse...

Aiiiiii...como eu queria achar um homem romãntico assim como o do seu texto...Me linka????Acabei d te linkar!!!!


=]

Better Together disse...

Nossa, achei que você estava falando do meu namorado!
auahuahuahuahua
Brincadeira, embora ele seja tudo isso, é inevitável as brigas! E sabe que eu gosto delas... Depois é muito melhor...
Eu acho que eu sou muito exagerada, exageradamente apaixonada, a sorte foi que eu encontrei alguém que gosta. E que me faz muito feliz. Se você conhecesse toda a minha história iria achar meio impossível!
auahuhauhauauhaahua

Beijo, adorei o post, mesmo.

tiago_saboia disse...

. aê!

... gostei. parabéns, meu velho.


=]]]