domingo, 16 de dezembro de 2007

O inesquecível perfume da rosa...

“E voltou, então, à raposa:
- Adeus, disse ele...
- Adeus, disse a raposa.
Eis o meu segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos.
- O essencial é invisível para os olhos, repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.
- Foi o tempo que perdeste com tua rosa que fez tua rosa tão importante.
- Foi o tempo que eu perdi com a minha rosa... Repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.
- Os homens esqueceram essa verdade, disse a raposa. Mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Tu és responsável pela
rosa...
- Eu sou responsável pela minha rosa... Repetiu o principezinho, a
fim de se lembrar.”

(Antoine de Saint-Exupéry – “O Pequeno
Príncipe”, Capítulo XXI)


São tantas pessoas... Mas aos nossos olhos, de imediato, são todas iguais. Iguais a cem mil outros. Como explica o autor no decorrer do capítulo, não temos necessidade delas, pois não fomos cativados e nem cativamos.

Bem... Com ela foi diferente. A minha rosa me cativou desde o princípio. Eu a cativei também. Pena ter demorado demais para descobrir isso. A vida é cheia de sol quando uma dessas pessoas nos cativa. Lembramo-nos dos pequenos detalhes com mais carinho. Seus passos são diferentes dos outros. Sua voz é diferente das outras, inconfundível. Seu jeito é exatamente do jeito que queremos.

Eu penso que a conheço. Conheço suas qualidades, seus defeitos, seus pontos fracos (positivos e negativos, se me compreendem). Porque realmente só se conhece aquilo que cativa, não é? As pessoas esqueceram disso também. Como diz o autor, elas compram tudo pronto nas lojas. Mas não existem lojas de amigos. Nem de amores...

Como dizia ela própria: “As melhores horas da nossa vida são exatamente aquelas em que perdemos a noção da hora”. O tempo simplesmente passava enquanto eu estava apenas conversando com ela. Não adianta pedir para que ele seja mais vagaroso... Que dirá pedir que ele pare! O tempo é implacável... Ah, se eu a tivesse amado a tempo! E eu tive muito tempo... Muitas horas felizes de espera, muitos “ritos”, como diz Saint-Exupéry.

Mas aí: “- A culpa é tua, disse o principezinho, eu não queria te fazer mal; mas tu quiseste que eu te cativasse...”. Acontece que a minha rosa é única. Ela é, para mim, a mais importante de todas. Porque fui eu quem a reguei. É a minha rosa. Foi o tempo que eu perdi (ou melhor, doei) com ela que a fez importante para mim. É por isso que não me arrependo de nada. Eu passaria por tudo outra vez e a regaria de novo e a cativaria de novo e deixaria que ela me cativasse... Ela levou embora toda a amargura que existia em mim. Ela também me regou, uma planta seca, e voltei então à vida. Ela é eternamente responsável por mim. E eu sou também eternamente responsável por você, minha amada amiga...

12 gota(s) de chuva:

raiza_Lisboa disse...

That was really, really beautiful...
But I disagree with you. If you think that there's no one else that could ever replace her, then you need to tell her and make amends. Maybe it's not too late!

Kari disse...

É magnífica a beleza desse livro que parece tão infantil, mas que nos ensina tantas coisas...
É sim, só nos importamos e conhecemos de fato, aqueles que cativamos. E eles se tornam mais especiais, mais bonitos, melhores em tudo. E não tem coisa pior do que quando eles, por algum motivo têm que ir embora. Dói, mas eu também não trocaria todas as "regadas" e todos os momentos juntos apenas para não sofrer...
Afinal, somos responsáveis por aquilo que cativamos...

Beijão

mari. disse...

Tive a impressão que já li esse texto em ingles o.õ
Ain...mais uma vez repito: Estou louca pra ler esse livro >.<
E sobre o final do post...é lindo o que você escreve..como você me disse uma vez que essa era a razão do seu blog agora posso entender tudo mais claramente...
Beijos e uma ótima semana ;**

Marcela disse...

Oi Lone querido! Queria me desculpar pelo sumiço, andei beeem ocupada com o trabalho.. mas senti falta de te ler =) e que surpresa eu tive agora viu... O Pequeno Principe é um dos meus livros favoritos... já fiz isso algumas vezes no meu blog há algum tempo, postei trechos e comentei. Adorei tudo que tu disse. Tem um sentido que faz a gente pensar.
Muuuito obrigada pelos comentários ;)
Aaah, tbm adoro lobos... meu sonho era um Husk branco... quem sabe um dia =)
Se cuida cherry! Beijos!

Better Together disse...

Adoro Pequeno Princípe!
=D
Nossa, lendo seu post, lembrei do começo da amizade que tenho com meu namorado... Ahhh como eu o cativei... Durante todas as manhã e tarde... O tempo que podia... Até não aguentar mais e apaixonarmos um pelo outro... De tanto cativar...

Beijo Grande!

Biaaahhh disse...

Lone...Vc e seus textos que dão vontade de chorar...são lindos...Tão lindo q naum tenho nem + o q dizer...Ma a verdade eh q eu acho q um dia vc deveria contar a sua história c/ essa menina de um jeito naum poético...
Mas e soh q eu acho,e sabe o q eu tenho precebido?Eu sempre acho errado...
=]

Better Together disse...

Ahhh e você acha que eu não iria te indicar!
Primeiro pra agradecer e segundo porque você merece!

Beijo!

Filha de Gaya disse...

Acredita que eu ainda não li novamente o Pequeno Príncipe?! Só li qdo era criança (ou seja, totalmente inocente para entender a sua complexidade...)
Bjus

Biaaahhh disse...

Vc nunca reponde as minhas perguntas...

Biaaahhh disse...

Mas tudobem...soh precisa responder se quiser...
=]

Biaaahhh disse...

Ah...FINALMENTEEEEEEEEEEEE!!!!!!!Eh,eu tb acho q o jeito lírico de esprexssar as coisas eh + bonito mesmo...
Confesso q eu to impressionada...Os caras q eu conheço sempre querem se vingar(mesmo quando a culpa eh deles)
E vc tah preocupado em preservar a identidade dela...
Puxa...Deve gostar muito dela mesmo...
Quero dizer...naum q algum deles jah tenha se vingado de mim...
Mas das minhas amigas sim...
Entende???
Tchau e please,ignore as merdas q eu escrevo...
=]

carol disse...

me serviu muuuito esse post teu. tudo que eu precisava ler, estava escrito aí :]
obrigada ;*