terça-feira, 11 de dezembro de 2007

O limite do Amor / November Rain...







Nada é capaz de mudar tão completamente uma pessoa quanto ele. É tão sublime e tão revitalizante, tão doloroso e tão perfurante quanto um sopro fino e gelado de inverno. É eterno enquanto cultivado. É efêmero quando rejeitado. Tão efêmero quanto a vida, nem um pouco menos.

Tento não permitir a sua entrada. Mas ele sempre está lá. Sempre esteve. Um par de anos. Teria sido ele sempre o mesmo? Naturalmente que não. Apenas quando ele se viu num espelho, límpido e turvo, luminoso e obscuro das palavras dela. Ele também se via estático, brilhante, num par de olhos em fotografia. Não voltou a encontrar-se quando os olhos não mais eram estáticos e o brilho já havia se apagado...

Ele fala em você para fazer coisas que vão de encontro aos seus costumes, às suas vontades... Mas como é bom fazer o que não faríamos... Percorrer qualquer distância, ir buscar seja o que for, apenas para fazê-la feliz. O orgulho? Engolido. Afogado. A timidez? Nem vergonha mais. Tudo se curva perante sua força e seu poder de destruição.

Ele destrói sim... Ele salva. Ele me faz desejar abrir mão da eternidade, ele está disposto a dar todo o meu sangue para ver brotar novamente a rubra essência vital nos lábios dela, se assim for necessário. Se eu pudesse tocar!... E quantas promessas que foram esquecidas, que foram feitas e que agora descansam em um mundo de lembranças e desejos.

O brilho dos seus olhos se foi. Tão turvos que mal posso enxergar suas pupilas. Por quê? Contentaria-me eu com isso? É claro que sim. Ele não se importa. Ele sabe que é mais do que isso. Ele sabe do seu poder. Ele se contentaria em ser alimentado por um sentimento não tão forte quanto ele, mas que está longe de possuir a sua fraqueza. A amizade afinal é tão nobre... Posso me contentar com ela. Posso, ainda, passar por cima de tudo apenas pela amizade dela, pois estando junto a ela estou em paz.

Como pode esse sentimento ousar dar sentido a vida e a todo universo? Como pôde ele prometer-me felicidade simples e eterna se me deixou vagando na fria chuva de novembro?

Não há espaço aqui para você. Não devo mais senti-lo. É você quem me faz sonhar noites inteiras com quem quero e quero esquecer. É você quem nos faz sentar em um boteco com um caderno numa mão e uma cerveja na outra. E é você quem nos faz escrever em blogs como este...

16 gota(s) de chuva:

Sinto que sei que sou: disse...

É ele mesmo que nos faz escolher a amizade ao inves de perde-la revelando-o a outros...
Sobre a angustia temos que ser fortes,mas o que acontece comigo é a revelação de um amigo sobre oq eu ele sente e eu queria dizer sim mas nao posso...
Bjus

mari. disse...

O amor é mesmo capaz de tudo por quem amamos.
Teu testo ta tão triste hoje =/
Se for isto que estas sentindo hoje... Melhoras!
beijo ;*

Biaaahhh disse...

Para tudoooooooooooooooooooo!!!!Mesmo sendo melancólico,esse eh um dos textos mais lindos que eu jah li,sério:
"Ele me faz desejar abrir mão da eternidade, ele está disposto a dar todo o meu sangue para ver brotar novamente a rubra essência vital nos lábios dela"...Eh mt lidu meeesssmoooo e naum,aum estou exagerando!!!!
Espero q eu escreva como vc um dia...
Ah!!!E eu tb queria ter MEU próprio dinheiro pra gastar comlivros...Mas ter 13 anos e naum ser dona do seu prório nariz eh assim mesmo...
Beijos;
=]

Biaaahhh disse...

Promeo q da próxima vez eu repasso um prêmio pra vc!!!!

Grafitte Charmy disse...

Nosssaaaaaaaaa

Sem comentárioss.. o MELHOR texto que eu liii
mas é muito triste tambémm..
acho que é assim que eu me sintoo, mas não tenho coragem de admitir às vezes =/

parabénss texto perfeitoo!
mas se for sobre você, não fique triste... xD
te desejoo tudo de bomm

beijosss*

Marcela disse...

Oi!
Bom, antes da resposta e do comentário em si, preciso fazer uma observação: ainda não sei o seu nome!!! Me diga depois =)

Então, acabei de ver que ganhei um link na sua página! E isso me deixou super feliz! Muito obrigada, viu? Vou retribuir isso!

Bom, agradecendo o seu comentário.. adorei suas palavras. Super verdadeiras..
E falando sobre seu post: perfeito. Adoro essa música. Acho que é por isso que adoro seu blog =) E a imagem da Mônica e do Cebolinha também é muito fofa.. seu texto ficou lindo. Dá até um arrepio.. Parabens!

Beijos

Better Together disse...

Eu já sofri tanto por amor, e já senti tanta dor. Às vezes calada, outras eu gritei, eu quis deixar todo mundo ver como eu estava me sentindo...
E lendo seu post, lembrei de uma música do Frejat, eu já chorei tantas vezes com ela...:
"O que me dá raiva não é o que você fez de errado
Seus muitos defeitos nem você ter me deixado
Nem seu jeito fútil de falar da vida alheia
Nem o que eu não vivi aprisionado em sua teia
O que me dá raiva são as flores e os dias de sol
E cada beijo teu e o que eu tinha sonhado pra nós
São seus olhos e mãos e seu abraço protetor
É o que vai me faltar
O que fazer do meu amor?"

Profundíssimo esse texto!
Beijo!

Kari disse...

"O limite do amor", e aí eu pergunto, e tem limite?
Acho que não...
Um texto bonito, tocante, e escrito com uma sinceridade gigante! Gosto disso...

Beijão

Fernanda Alves. disse...

Realmente... nada nos muda mais do que o amor...



lindo texto

nao há limites



bjo

Sinto que sei que sou: disse...

È exatamente o que tenho que fazer...
E volte atras qdo achar q desistir nao valeu a pena
Bjus

Biaaahhh disse...

Sério...Eu quase chorei quando li o texto,pq eu q tanto quero um amor naum me conformo quando vejo um acabar...Mas acho q deve entender q a menina teve motivos(talvez injustos, naum sei,mas foram motivos)e q como alguém q a ama tanto vc deveria tentar entendê-la.Naum estou pedindo q deixe de amá-la,simlesmente entenda ela...Pra vc naum guardar mágoa...
E se alegre!!!Um dia vc vai conhecer outra pessoa que vai reconhecer o seu amor...Pq se ela naum estah c/ vc eh pq ela naum eh a coisa certa pra vc....
Sabe...Pra mim o amor eh capaz d apagar qualquer mágoa...
as como sou alguém q deseja amor e naum alguém q naum foi decepcionada pelo amor acho q naum sou capaz d julgar...
Bigadinhah pelos elogios;
Beijos;
=]

Nanda Nascimento disse...

Até a onde nos rendemos ao amor? Fiquei refletindo depois de ler seu título: " O limite do amor" , talvez ele tenha limite sim, basta saber o quanto podemos suportar!

Beijos e flores!!!

raiza_Lisboa disse...

Who is she?

Lamar de Alcântara disse...

É incrível. Cada blog que eu leio eu vejo alguém que os move. Somos todos altruistas ao escrevermos para desabafar sentimentos que temos por alguém, assim, meio sem sentido. Mas sempre escrevendo com o coração!

mari. disse...

Hum, entendo...
Ah e que bom que você gosta do meu blog, sempre fico muito feliz quando alguem elogia o que eu faço com tanto carinho e dedicação =]
beijos e uma ótima sexta feira ;***

mari. disse...

Que bom que consegui te passar o que sinto.
E esse tema é sempre muito bom de escrever mesmo, não é? =]
beijos e um ótimo final de semana ;**